O que é válvula termostática? Pode retirar?

Tem-se levantado diversas questões acerca da válvula termostática. Qual sua função? Ela é um dispositivo realmente necessário? Muitos mecânicos ainda hoje recomendam a retirada deste dispositivo, alegando que ele é inútil. Mas cabe ao cliente entender a função deste componente e sua função junto ao motor, resguardando de avarias.

O que é a válvula termostática?

A temperatura do motor deve sempre permanecer sob observação, evitando tanto o superaquecimento quanto a super-refrigeração. Caso aconteçam, podem gerar graves danos as peças do motor, assim como um aumento excepcional no consumo de combustível. A válvula termostática tem a função de manter a temperatura do carro sempre equilibrada, evitando tais tipos de acontecimentos.

O dispositivo pode ser acionado pela própria detecção da temperatura ou por meio eletrônico. Quando acionada, libera um líquido que realiza troca térmica com o motor, mantendo-o entre a temperatura máxima e mínima. Quando o motor estiver frio, a válvula termostática ficará fechada, ou seja, permitindo que o aditivo volte para o bloco do motor. Quando o motor chega a mais ou menos 90°, a mesma se abre e permite a passagem desse líquido.

Válvula Termostática MTE-THOMSON

Isso fará com que o líquido vá e depois volte, ou seja, deixa o sistema mais otimizado, funcionando na temperatura ideal. Se a válvula termostática estiver com defeito, é provável que o veículo venha a sofrer com o superaquecimento, já que esse líquido quente ficará no motor.

Grande parte dessas válvulas termostáticas será acionada pelo mesmo líquido responsável pelo arrefecimento. É preciso que ele esteja limpo e, por isso, os carros são vendidos já com esse líquido dentro do radiador com a água e com recomendações estritas sobre qual o melhor fluído de arrefecimento. A ideia central dessa composição é muito simples: evitar o desgaste das peças e também ter um bom funcionamento da válvula termostática. As manutenções devem ser feitas mais ou menos a cada 30 mil km. Porém, em uso severo isso pode ser antecipado para a metade.

Devo remover a válvula termostática?

Muitas pessoas acreditam que, ao se retirar a válvula termostática, há o impedimento do fluxo do líquido que supostamente é o responsável por fundir o motor de muitos carros. Porém, isso é errôneo, já que sem a válvula o carro perde sua propriedade de se auto refrigerar ou auto aquecer, evitando situações extremas de temperatura.

Caso não houvesse a válvula de refrigeração, as mais simples mudanças climáticas poderiam afetar severamente os motores dos carros. Por exemplo, em climas mais frios, o motor refrigeraria muito, ocasionando expansões nas peças e folgas. Ainda, o motor frio consome muito mais combustível, pois este demora a ser queimado para uso.

Os carros em que são privados da válvula termostática demoram para aquecer ou resfriar. Isso prejudica ainda mais os carros que utilizam dois tipos de combustível (flex) , pois eles necessitam de misturas mais elaboradas para alcançarem um funcionamento excelente, o que aumenta o gasto de combustível.

Se a válvula está em perfeita manutenção, é raro que aconteçam superaquecimentos. Porém, em algumas situações, é possível que ocorram. É sempre importante manter o a boa utilização do motor, não o forçando ao extremo. Além disso, outros problemas técnicos também podem causar tais avarias. Por exemplo, vazamentos de líquidos, entupimentos no sistema de arrefecimento ou no radiador, o afrouxamento ou defeito da correia bomba d’água, má ventilação, dentre outros.

Outro ponto muito importante a que devemos nos atentar é que o carro esteja equipado com uma válvula que funcione perfeitamente. Os carros mais antigos não possuem sistemas modernos que acusam falhas no painel ou scanner. Portanto, é importante sempre estar observando se o dispositivo está corretamente instalado e exercendo sua função.

Antigamente, não se conseguia determinar se a válvula era para um motor a gasolina ou para o motor a álcool. As válvulas próprias para o álcool possuíam um faixa de temperatura que propõe uma abertura do dispositivo mais rapidamente do que da gasolina. Assim, quando um carro apresentava defeito relativo ao superaquecimento, os mecânicos colocavam uma válvula própria para álcool no carro, possibilitando que o líquido entrasse mais rápido no radiador e diminuísse a temperatura em um intervalo de tempo menor. Com os motores flex, a válvula passou a ser única.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *