O Que é Rebaixar o Cabeçote? Aumenta a Potência?

O cabeçote, também chamado de cabeça do motor ou cúpula, é uma peça extremamente importante para os veículos. Ela realiza o controle da entrada e saída do ar, além também da regulagem de combustível para os cilindros que estão presos ao bloco. O cabeçote direciona as funcionalidades do motor, e realiza o fechamento superior dos cilindros. Comumente, para que o calor seja dispersado, o cabeçote é produzido com alumínio. Assim, a peça também se encaixa ao bloco para evitar e resistir à explosões.

Muitos donos de veículos optam por rebaixar o cabeçote, a fim de obter uma maior taxa de compressão. Esta é uma modificação mais barata do que outras que devem ser realizadas em carros turbo, como instalação de pistões ou bielas mais curtas. Com uma maior taxa de compressão, o motor pode comprimir mais ar durante e combustão e a velocidade da queima do combustível também aumenta. Abaixo, saiba mais sobre o cabeçote e o rebaixamento.

Cabeçote

O cabeçote, como afirmamos acima, é uma peça extremamente importante para os veículos. Isso porque ela realiza o controle do fluxo de ar que entra e sai dos cilindros do bloco. Como mencionado, o cabeçote deve ser feito com um material resistente para que resista às explosões que ocorrem na combustão e também quaisquer outras que sejam causadas pelo aquecimento do motor.

No cabeçote, há os dutos que levam a mistura de ar-combustível até as válvulas de compressão. Porém, as os primeiros não desempenhavam a função que hoje possuem. Antes, eles eram apenas um tampa para a câmera de combustão.

Hoje em dia, os cabeçotes não são peças simples e planas. Dentro deles, ficam os dutos em que circulam água e óleo. Em cima do cabeçote, há a parte que é responsável por controlar o fluxo de ar. Também, no cabeçote há as molas de abertura, chavetas, balancins e retentores.

Conheça o rebaixamento do cabeçote.

O rebaixamento do cabeçote ocasiona o aumento da taxa de compressão de ar.

Na parte debaixo do cabeçote, a parte inferior, estão as câmeras de combustão, onde a mistura de ar e combustível será comprimida. Também, na câmera, há as velas de ignição.

Ainda, os cabeçotes podem ser de fluxo cruzado ou unilateral. No primeiro tipo, a mistura de ar e combustível entra por um lado e sai pelo exaustor. Já no cabeçote unilateral, os fluxos ocorrem pelo mesmo lado.

Como o cabeçote é uma peça tão importante, é preciso que ela sempre esteja íntegra e não tenha danos. Assim, esteja sempre atento a certos sinais que indicam problemas no cabeçote. Sempre que tenha fumaça, veja as cores.

Também, quando o cabeçote não consegue dissipar o calor, seja por superaquecimento ou quaisquer outros problemas, a junta do cabeçote pode rachar ou até mesmo romper. E, este superaquecimento, que poderá ocasionar problemas na peça, pode ser causado pela falta de líquido de arrefecimento.

Por que rebaixar o cabeçote?

O rebaixamento do cabeçote consiste em apenas milímetros. Porém, esta pequena mudança torna a taxa de compressão maior. Basicamente, a taxa de compressão é quanto ar o motor pode comprimir em um intervalo de tempo. Aumentando esta taxa, significa que entrará mais ar na câmera de compressão, o que irá aumentar a velocidade do processo. Também, a média de consumo de combustível diminui.

Rebaixar o cabeçote é um método muito mais econômico para aumentar a aceleração. E, a aceleração está ligada proximamente com a potência. Porém, é preciso mencionar que o cabeçote deve ser rebaixado apenas ligeiramente, para que não sejam ocasionados danos no motor. Também, reduzir o cabeçote, apesar de aumentar a potência, também reduz a vida útil do motor.

Para carros turbinados, existem outros métodos de aumentar a potência. Por exemplo, ao utilizar os pistões mais curtos. Porém, esta modificação exige que haja a desmontagem do motor. Combinando os pistões com bielas também mais curtas, há ainda um benefício maior.

 

 

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *