O que é para que serve a barra estabilizadora?

Os automóveis precisam de suspensões para que o não sofram muitos impactos maléficos em estradas. A suspensão faz com que o carro absorva muito melhor estes impactos. Mas se engana que é preciso apenas bons amortecedores para um sistema de suspensão eficiente.

Uma das peças essenciais para que o carro permaneça em curso, e não apresente irregularidades em movimentos rápidos e brutos, é a barra estabilizadora, que trabalha em conjunto com a suspensão. Montada nos chassis do carro, ela consiste em uma peça simples que une os dois braços de suspensão em um mesmo eixo, forçando o carro a ficar no mesmo eixo em ações de velocidade ou em curvas, auxiliando que o veículo a continue seu curso no solo.

A barra estabilizadora tem este nome, pois, de fato ela tem como objetivo estabilizar o veículo. Sua atuação permite que o veículo tenha um comportamento dinâmico, mantendo as rodas do carro sempre na estrada. De maneira geral, é importante que os proprietários de carros entendam como funciona esta peça, para que saibam identificar possíveis defeitos. Há desvantagens em se utilizar a barra?

Como funciona a barra estabilizadora?

Esta peça fica localizada na suspensão dianteira e, ás vezes, na direção traseira também. Quando fazemos uma curva com o carro, a parte dianteira dele fica sobrecarregada, pois o veículo precisa manter a aderência ao solo. A suspensão da roda que não está dentro da curva fica solta, causando um desequilíbrio. Assim, perde-se a capacidade de frenagem, já que não há contato com o solo, o que muitas vezes pode causar acidentes graves.

A barra estabilizadora tem a função de unir as duas partes da suspensão, mantendo-a em um único eixo. Ela é uma peça de metal grande, mas simples. A barra força que as rodas fiquem no chão, pois o sistema se torna rígido, equilibrando o veículo na hora que realiza a curva. Assim, não tem a possibilidade de que o carro fique com a roda solta.

 

barra estabilizadoraEla compensa a força que é feita, na curva, na roda interior a curva na roda exterior.

Existem desvantagens na utilização da barra?

Muitos acreditam que a barra estabilizadora só deve ser colocada em um carro caso haja alguma deficiência na suspensão do carro. Além disso, existem aqueles que entram em defesa das suspensões independentes, para que haja ainda mais desempenho do carro. Entretanto, mesmo nestes casos, é preciso existir uma relação mínima de dependência entre elas.

O fato é que, se um motorista preza pelo conforto, a o carro deve possuir uma rolagem excessiva. E se, a dirigibilidade for o foco, corre-se o risco de que o conforto seja prejudicado, o que resulta em um carro duro. Por isso, a barra estabilizadora vem como ponto crucial para que haja esse equilíbrio. Assim, os benefícios que uma barra estabilizadora pode trazer a um veículo se destacam mediante a alguma desvantagem que ela pode trazer.

Podemos citar aqui que as suspensões ficam menos independentes do carro, e assim, podem perder a capacidade de processamento do piso. O motorista pode então sentir esse efeito, porém, não é um processo comum.

Outra desvantagem está em relação ao desgaste de peças menores dentro de seu sistema. Apesar das barras estabilizadoras serem comumente muito resistentes, e não apresentam defeitos, deve-se atentar para a manutenção das peças que as unem com a suspensão, pequenas buchas que, com o tempo, se desgastam. O consumidor deve prestar atenção a alguns barulhos do carro. Quando estas buchas estão em ponto de trocar, elas produzem um ruído de atrito.

Os veículos esportivos já possuem este tipo de componente em seu conjunto. Modelos como o novo A8 já possui este item, que é controlado a partir de um sistema eletromecânico que possui 48 volts. Este tipo de mecanismo permite mais conforto e estabilidade ao condutor, que desfruta de intensas velocidades sem que sinta que seu eixo está saindo do lugar.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *