Quais São os Carros que Mais Apresentam Defeitos no Brasil?

Quando compra-se um carro, é preciso pesquisar e entender qual a melhor opção para as atender às suas necessidades. Ainda, também é necessário conhecer quais são os veículos que mais apresentam defeitos no Brasil, para que, caso possível, não os compre ou os adquira já sabendo quais são os possíveis defeitos. Para facilitar esta compra e o entendimento sobre os veículos que mais apresentam problemas no Brasil, o aplicativo Engie, que é utilizado para verificar o funcionamento interno dos carros, divulgou um ranking com os veículos usados que mais apresentam defeitos no país.

Foram analisados, nesta pesquisa do Engie, veículos que tenham entre 4 a 8 anos de uso e contenham o sensor e aplicativo da empresa instalados. Assim, pode-se conferir os defeitos comuns a quais modelos e também se estes ocorrem com muita frequência. Nesta lista, divulgada em 2018, o Chevrolet Spin foi o carro que mais apresentou problemas, e a falha mais comum detectada foi o catalisador com queima de gases insuficiente. O veículo que ocupou a décima posição foi o Mitsubishi Pajero, modelo no qual 34% dos veículos analisados demonstraram ter defeitos no eixo de comando do motor.

Confira esta lista na íntegra abaixo.

10 veículos que apresentaram mais defeitos no Brasil

Como mencionado, é preciso ter muita atenção na compra de um veículo, para que tenha-se certeza de que o veículo que está sendo adquirido irá atender às suas expectativas e necessidades. Ainda, é preciso estar muito atento aos defeitos comuns ao modelo que está interessado, pois manutenção são custosas e, a longo prazo, podem significar grandes gastos. Por isto, para evitar estas situações, confira abaixo um ranking elaborado pelo app Engie dos veículos usados, com 4 a 8 anos de uso, que mais apresentaram defeitos no Brasil, nos anos de 2017 e 2018.

1º Chevrolet Spin: O Chevrolet Spin apresentou falhas em 59% dos veículos que foram analisados. Ou seja, mais de metade destes veículos mostraram defeitos. E, o mais comum foi o catalisador apresentando insuficiência na queima de gases.

O Chevrolet Spin foi o veículo que mais apresentou defeitos.

O Chevrolet Spin foi o veículo que mais apresentou defeitos.

2º Volkswagen Jetta: O Volkswagen Jetta apresentou, em 51% dos seus veículos, problemas no filtro do sistema de evaporação do combustível.

3º  Renault Duster: O Renault Duster, um veículo muito comum no Brasil, demonstrou defeitos em 41% dos carros analisados. E, a falha mais comum foi em um ou mais cilindros.

4º Chevrolet Agile: O Chevrolet Agile, primeiro integrante da Família Viva, assim como o Renault Duster, apresentou problemas em 41% dos veículos. E, da mesma forma que o Chevrolet Spin, o defeito mais comum foi a insuficiência na queima de gases.

5º Volkswagen Saveiro: O Saveiro, um veículo com carroceria muito comercializado no mercado brasileiro, apresentou, em 40% dos carros, catalisador com insuficiência na queima de gases.

6º Chevrolet Cobalt: Como pode-se perceber, o catalisador com problemas, apresentando dificuldade na queima de gases, foi um dos problemas mais recorrentes nos carros. E, o Chevrolet Cobalt também demonstrou passar por estes defeitos em 37% dos veículos analisados.

7º Nissan Sentra:  O Nissan Sentra demonstrou ter, em 36% dos veículos analisados, defeitos em um ou mais cilindros.

8º Peugeot 207: No Peugeot 207, o problema mais comum foi no sensor de TBI, apresentando-se em 35% dos automóveis que tinham o aplicativo Engie.

9º Citröen C4: O Citröen C4 apresentou problemas no seu câmbio, em 34% dos veículos.

10º Mitsubishi Pajero: O Pajero, um veículo de porte maior, comparando-o aos outros citados, demonstrou ter defeitos no eixo de comando do motor, em 34% dos carros.

Logo, como pode-se ver acima, o defeito mais recorrente nestes veículos usados foi o catalisador com insuficiência na queima de gases, o que pode ocasionar problemas no funcionamento do motor. É importante mencionar que estes problemas foram detectados apenas nos veículos usados, que tinham entre 4 a 8 anos de funcionamento. Assim, não foram analisados veículos novos ou seminovos, que podem não apresentar estes problemas, possivelmente decorrente do uso.

 

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *