O Que é Sonda Lambda? Como Funciona?

A combustão, e consequentemente o funcionamento do veículo, só ocorre caso haja oxigênio na câmera de combustão. E, também é preciso que o oxigênio e os combustíveis, sejam estes álcool, gasolina ou diesel, estejam na proporção ideal. Para que seja obtida a medida deste ponto estequiométrico, utiliza-se a sonda lambda, também chamada de sensor de oxigênio, que atua medindo a quantidade de O2 eliminado nos gases do veículo.

Logo, quando utiliza-se a sonda, pode-se determinar o equilíbrio ideal entre O2 e combustível que deve estar presente na combustão, para que esta ocorra de forma efetiva e ocasione o funcionamento do veículo.

Sonda Lambda

A sonda lambda é um aparelho que se localiza no coletor de escape do motor, logo antes do catalisador. Esta peça começou a ser utilizada a partir de 1970, para atender às exigências de emissão de gases. Ela atua em uma temperatura entre 300 e 600 ºC, proporciona pelo motor. Esta temperatura é ideal para que o dióxido de zircônio ou o óxido de titânio, substâncias utilizadas no sensor, transformem-se em condutores de íons de oxigênio.

Como a sonda mede a quantidade de oxigênio presente nos gases liberados pelo motor, ela consegue perceber quaisquer alterações na proporção deste gás e combustível na câmera de combustão. Assim, ela envia esta informação para a Unidade de Comando Eletrônico (ECU), que irá restabelecer o ponto estequiométrico ideal. Logo, esta sonda é muito importante para o funcionamento total do veículo, visto que a falta de equilíbrio na câmera do combustão impede o seu bom funcionamento.

Conheça a sonda lambda

O sensor lambda permite a medição da quantidade de oxigênio no veículo.

Como a proporção de oxigênio necessária muda de acordo com as características do motor, além da temperatura, pressão, umidade, a ECU equilibra a quantidade de O2 todas as vezes que uma nova informação chega.

A proporção ideal de oxigênio para a gasolina é de 14,7 partes de ar para 1 do combustível, enquanto no caso do etanol, a razão ideal é 9 para 1. Porém, a sonda não realiza estes cálculos possuindo a informação sobre qual combustível está sendo usado no veículo. Na verdade, a razão é calculada de acordo com a oxigênio que passa por ela.

Ainda, a vantagem é que o sensor lambda demora apenas de 0,13 a 0,30 para informar à ECU alguma alteração na quantidade de oxigênio no veículo. Logo, quaisquer problemas de equilíbrio na razão de ar para combustível é facilmente e rapidamente solucionados.

Quais  os sinais de problemas com a sonda lambda?

É preciso estar muito atento aos problemas nas sondas lambda, visto que avarias nesta peça podem aumentar o consumo de combustível em até 15%, ocasionando mais gastos ao dono do veículo. Porém, esta é uma peça muito resistente e dificilmente precisa ser trocas.

Muitos mecânicos sugerem a troca da peça quando ocorre algum dano na ignição, pensando que na verdade o problema está no sensor e não no sistema. Porém, antes de procurar avarias no sensor, é preciso se certificar se algumas outras peças estão intactas e não apresentam problemas. Temos como exemplo as velas de ignição, cabos de vela, bobina, filtro de ar e de combustível, bomba de combustível, bico injetor, correia dentada, dentre outras.

Porém, caso estas peças citadas estejam em boas condições, realmente o problema pode ser na sonda lambda. Os sintomas mais comuns de sondas danificadas são aumento do consumo de combustível, carro engasgando nas marchas lentas e perda de potência do motor em altas velocidades.

Utilize um aparelho multímetro para testar se a sonda lambda realmente está funcionando. Estas peças, quando estão com bom funcionamento, apresentam voltagem entre 0,1 e 1,0 volts. E, se realmente for atestado problema na lambda, será preciso trocá-la.

O preço de um sensor novo varia de acordo com o modelo do carro, indo de R$ 150,00 a R$ 250,00. E, além deste valor, também é preciso pagar a mão de obra de um profissional especializado, cujo valor médio é R$ 100,00.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *