Bateria de Gel é boa? Vale à pena colocar?

Uma bateria de gel consiste em um elemento automotivo cuja composição tem menos gel de ácido em comparação às outras baterias. Seu interior é composto por gel eletrólito, que substitui a ação do ácido. Este tipo de bateria possui muitas vantagens em relação às outras baterias, mas por não ser muito comum, ainda existem aqueles que possuem algumas dúvidas em relação à sua utilização.

De modo geral, as dúvidas giram em torno de aspectos como a possibilidade de que o ácido da bateria derrame. O que na verdade é praticamente impossível de acontecer, uma vez que, sendo sua composição feita em gel e não pode ser derramada. Além disso, as baterias de gel são seladas de maneira segura evitando que todo o seu conteúdo vaze.

Qual a diferença entre Bateria de Gel e Bateria de Chumbo?

O eletrólito de gel é pouco armazenado, sendo assim, esta característica permite que ela se torne muito mais leve. As baterias de chumbo, ou baterias comuns, mais utilizadas em veículos automotivos são muito mais pesadas que um bateria de gel.

Além disso, estes tipos de bateria tem a função de segurar uma carga por um período maior de tempo em relação à uma bateria convencional. Outra vantagem é a de que a sua carga de execução plana pode ser segurada por muito mais tempo do que uma bateria comum.

No inverno, as baterias de gel ainda são capazes de superar as baterias comuns, uma vez que, são capazes de resistir à temperaturas menores do que em relação a uma bateria convencional.

A bateria de gel não apresenta problemas em seu carregamento. Porém, é preciso que sejam carregadas em um ritmo mais lento, uma vez que, é preciso evitar que o item tenha excesso de formação e que seja recolhido dentro da bateria.

Bateria de Gel

As desvantagens de uma bateria de gel

A bateria de gel é um item bem difícil de ser encontrada em carros comuns, uma vez que seu custo é maior do que o de uma bateria de chumbo. Assim, este tipo de bateria só será encontrada em carros com alto custo que comportam um conceito de conforto, praticidade e sustentabilidade. Hoje, caso o proprietário do veículo opte por este tipo de modelo de bateria, terá de desembolsar uma boa quantia.

Ainda, no mercado automotivo, poucas marcas fabricam este tipo de bateria, porém, a previsão é de que exista uma mudança neste aspecto em pouco tempo conforme a tecnologia vá ficando mais acessível.

Outra desvantagem é na hora de fazer a taxa de carregamento, que possui uma tensão mais baixa do que as baterias de chumbo. Assim, com uma sobrecarga, a bateria corre o risco de ter seu gel transformado em poroso. Isso faz com que sua vida útil seja diretamente afetada, causando perda de energia.

Vale a pena?

Isto vai depender de cada veículo. Deve-se levar em consideração aspectos como ano de fabricação e modelo. Em carros mais antigos, onde já existe grande desvalorização de mercado, ela não é indicada por ser um custo de alto investimento ao proprietário frente ao valor do carro.

Já em carros que possuem um modelo mais atual e dinâmico, que adotam o conceito de sustentabilidade em sua formação, colocar baterias de gel pode ser um bom investimento, o que valorizará ainda mais o veículo e evitará gastos extras por um tempo maior que

No entanto, a escolha fica a critério de cada proprietário, levando em consideração critérios de utilização de seu veículo. Os benefícios para o veículo e para o meio ambiente são indiscutíveis, mas é preciso levar em consideração a informação de que, infelizmente, este tipo de bateria ainda possui uma alto custo no Brasil.

Deixe sua mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *