Motos Podem Andar no Corredor?

Motociclistas trafegando pelos corredores entre os carros se tornaram uma cena extremamente comum nas grandes metrópoles brasileiras, sendo praticamente “parte da paisagem” de algumas avenidas. Porém, por mais que todos saibam que essa é pratica comum, tem muita gente que ainda acha que é proibido para motos andar nos corredores.

O artigo 56 do Código Brasileiro de Trânsito restringia o uso de motos nos corredores, porém ele foi vetado em 1997, pelo então Presidente da República Fernando Henrique Cardoso. Em seu veto, ele justificou:

Ao proibir o condutor de motocicletas e motonetas a passagem entre veículos de filas adjacentes, o dispositivo restringe sobre maneira a utilização desse tipo de veículo que, em todo o mundo, é largamente utilizado como forma de garantir maior agilidade de deslocamento. Ademais, a segurança dos motoristas está, em maior escala, relacionada aos quesitos de velocidade, de prudência e de utilização dos equipamentos de segurança obrigatórios, os quais encontram no Código limitações e padrões rígidos para todos os tipos de veículos motorizados.

Apesar de retirar as motocicletas da proibição de rodar nos corredores, os ciclomotores – motos de até 50 cc – foram impossibilitados de andar no corredor. Segundo o artigo 57 do CTB, “a restrição fica mantida para os ciclomotores, uma vez que, em função de suas limitações de velocidade e de estrutura, poderiam estar expostos a maior risco de acidente nessas situações”.

Motos_no_corredor

O Código Brasileiro de Trânsito permite que motocicletas trafeguem pelos corredores.

Portanto, não há nenhuma proibição para que motocicletas trafeguem pelos corredores entre os carros. Até porque, como afirmado pelo próprio ex-presidente, ao se proibir isso, as motos perderiam sua principal função nas grandes cidades, que é proporcionar maior agilidade nos deslocamentos, fugindo do tráfego.

Multas

Mesmo com esse veto presidencial, existem casos de motociclistas que afirmam terem sido multados por rodar no corredor. A questão está relacionada ao artigo 192 do CTB, que afirma que o condutor de qualquer veículo deve manter uma distância segura dos demais, tanto frontal, quanto lateral.

Como o artigo não determina objetivamente o que seria uma distância segura, isso cria um espaço para interpretação do agente, o que pode levar a multas. Porém, advogados afirmam que essa interpretação está equivocada, já que o veto presidencial foi claro, e que é possível obter a anulação da multa.

Como é em outros países?

A permissão para rodar no corredor varia de país para país. Na Áustria, na Bélgica e na Holanda, por exemplo, é permitido andar no corredor quando o trânsito fica parado, mas, nos dois últimos países, é preciso rodar em velocidade baixa. Já para países como a Áustria não há restrições.

Na Alemanha, na Itália e na França, rodar no corredor é proibido, porém as autoridades são tolerantes em alguns casos, como em Paris, onde é extremamente comum ver motos nos corredores. Nos Estados Unidos, a Califórnia é o único estado no qual não existe proibição de rodar no corredor.

Riscos

Segundo especialistas em tráfego e mesmo de acordo com depoimento de motociclistas, os riscos não estão relacionados ao fato de simplesmente andar no corredor em si, mas principalmente a um abuso de velocidade por parte dos pilotos mais imprudentes.

Uma pesquisa, realizada nos Estados Unidos, mostrou que se o motociclista mantiver uma velocidade baixa, rodar no corredor não aumenta os riscos de acidente graves. No estudo, um total de 6 mil acidentes foram analisados, dos quais 997 estavam relacionados a motociclistas rodando entre os veículos, o que corresponde a 16,6% do total.

A principal conclusão do estudo foi de que o maior fator de risco para acidentes envolvendo motocicletas é a velocidade em relação aos outros veículos. De acordo com a pesquisa, rodar no corredor com um diferencial de baixa ou moderada velocidade é relativamente seguro, recomendando aos motociclistas não rodarem a velocidades superiores a cerca de 10 milhas por hora (16 km/h) em relação aos outros veículos.

Além disso, de acordo com o próprio estudo, acidentes quando a moto está atrás dos veículos, por exemplo, são os que geram mais riscos de lesões graves para os motociclistas, porque nestes casos, normalmente, a velocidade é maior.

Sendo assim, a principal dica aos motociclistas é para não abusar da velocidade ao andar nos corredores. Ao trafegar entre os carros, redobre a atenção, pilotando de maneira cautelosa e segura, e dessa maneira o risco de um acidente grave será bastante reduzido.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *