Porque evitar carros com Estepe na Traseira

Os estepes fixados externamente, na traseira do veículo, tornaram-se algo muito comum de ser visto nas ruas brasileiras nos últimos anos, principalmente pelo crescimento do interesse por veículos SUV, ou com proposta “aventureira”, que ocorreu no nosso mercado nesse período. Entretanto, embora muitos consumidores gostem e sejam atraídos por carros com o estepe na traseira, isso pode não ser na prática algo muito bom, tendo mais pontos negativos do que positivos.

Colocar o estepe na parte externa do veículo, fixado sobre a tampa do porta-malas, surgiu por esses veículos serem inspirados nos jipes e utilitários mais antigos, que tinham os estepes fixados dessa maneira para facilitar as trocas de pneu, já que estes sofriam avarias frequentes, pelo terreno difícil que enfrentavam, além de liberar mais espaço interno.

Porém, hoje em dia, em que esses veículos SUV acabam tendo um uso muito mais urbano, a manutenção do estepe na traseira se dá apenas por motivos estéticos, já que na prática, para a cidade, isso acaba gerando mais problemas e pontos negativos. Outro detalhe interessante: o estepe na traseira é algo tipicamente brasileiro, sendo usado com muito frequência aqui do que em outros mercados. Pesquisas de mercado mostraram que aqui essa prática faria sucesso, enquanto que consumidores europeus, por exemplo, rejeitaram a ideia.

Vamos então aos principais pontos negativos de ter um estepe fixado sobre a tampa do porta-malas do seu carro.

EcoSport3

Ford EcoSport, com e sem o estepe na traseira.

Furtos

Essa é talvez a desvantagem mais óbvia e comum de ser lembrada. É lógico que seu estepe fica mais exposto, por estar fixado externamente, o que pode levar a uma chance maior de furto do pneu. Entretanto, essas peças normalmente vêm com travas de segurança, com padrões diferentes de parafuso, o que dificulta bastante a ação de ladrões.

Assim, embora isso não seja tão comum, acaba realmente existindo uma chance maior de roubo.

Visibilidade

Esse problema pode por muitas vezes passar desapercebido, porém a visibilidade é um dos maiores pontos negativos do estepe na traseira. Como a parte superior do pneu acaba cobrindo a área inferior do vidro, isso causa uma perda considerável de visibilidade traseira. Será mais difícil estacionar se o seu carro não estiver equipado com câmera ou sensor de ré, exigindo de você uma maior noção espacial na baliza, por exemplo.

Além disso, pode ser mais difícil ver pedestres passando atrás do veículo, principalmente se a pessoa for mais baixa, como uma criança, por exemplo.

Danos no estepe

Outra desvantagem bastante clara é que, por estar na parte externa do carro, o estepe fica muito mais exposto a avarias, furando com facilidade, mesmo em pequenos impactos. Isso ocorre porque os pneus são projetados para ser mais resistentes em sua banda, a parte que entre em contato com o solo, e não em seu ombro, sua parte lateral.

Assim, o estepe acaba ficando mais vulnerável, principalmente se o proprietário não instalar uma capa protetora, de material mais rígido, como plástico ou fibra.

Impactos de grande proporção

Os estepes na traseira também tornam o próprio carro mais exposto, no caso de impactos traseiros de grande proporção. Normalmente, em caso de batidas, o reparo fica mais caro e os casos de perda total também são mais frequentes. Isso ocorre porque quando não há o estepe, o impacto da batida é distribuído por uma área muito maior, em todo o para-choque traseiro. Já com o estepe, o impacto fica concentrado, apenas na área em que está fixado o pneu, causando danos e amassados muito maiores.

O Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi) fez um teste com as versões ELX e Adventure do Fiat Idea 2006. A primeira não possui estepe traseiro, enquanto que a segunda possui. No teste, foi realizado um impacto traseiro de 15km/h. O custo de reparo na versão ELX ficou em R$ 608, já que foi necessária apenas a troca do para-choque traseiro. Já na Adventure, com o estepe, o valor de reparo foi de R$ 3.824, pois foi necessário realizar o alinhamento da carroceria, troca do estepe e de seu suporte, funilaria e pintura.

Abertura do porta-malas

Pelo fato de o estepe estar posicionado sobre a tampa traseira, o espaço necessário para a abertura do porta-malas é bem maior, o que pode dificultar muito sua vida em algumas situações. Para estacionar o veículo, por exemplo, se você for precisar pegar algo no porta-malas, dependendo do espaço, terá que parar o carro antes, pegar o que precisa, voltar ao veículo, para posicioná-lo corretamente. Com certeza, o estepe na traseira pode fazer você ter muito mais trabalho em situações simples.

Troca de pneus

Por fim, a troca de pneus é outra ação dificultada, pois é necessário retirar todos os dispositivos de segurança, como travas e parafusos, para pegar o estepe. Além disso, o peso do conjunto acaba ficando maior, chegando muitas vezes a 30 quilos, o que faz com que a exigência de força no momento da troca também seja maior.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *