Carro Blindado: Vale a Pena?

Os altos índices de violência das grandes cidades brasileiras fazem com que cada vez mais pessoas passem a aderir a blindagem para seus carros. Os altos custos para se instalar a proteção aos veículos ainda é um fator restritivo, o que não permite o acesso a carros blindados a grande parte da população. Porém, mesmo com os altos custos, esse segmento do mercado tem crescido grandemente no Brasil nos últimos anos.

Só para se ter uma ideia, em 2013 o Brasil possuía uma frota de cerca de 120 mil carros blindados. Em 2003, eram apenas 22 mil veículos, o que representa um aumento de nada mais nada menos que 445% em dez anos. Esses dados tornam nosso país o líder mundial no mercado de blindagens, o que não é motivo para comemorar, já que esse dado representa um retrato da violência da nossa sociedade.

Custos

Embora seja interessante poder contar com uma proteção contra a violência que nos assola com um carro à prova de balas, saiba que o preço para isso ainda é bem alto, pagando-se praticamente o mesmo valor de carro zero km, por exemplo. Um carro pequeno, como uma picape compacta fica em torno de R$ 37 mil, enquanto a proteção para um sedã sai por R$ 50 mil e para um SUV pode superar os R$ 60 mil.

Além disso, o crescimento do mercado fez o setor de blindagens olhar também para a classe média, um sistema de blindagem “popular”, de preço mais acessível, chegando a custar até 50% menos que a blindagem tradicional.

A questão é que existem kits padronizados para vinte modelos de carros com preços que variam de R$ 18.950,00 a R$ 33.000,00. Batizada de armadura, esse tipo de blindagem é mais leve que a tradicional, acrescentando cerca de 90 kg ao veículo, enquanto a blindagem usual pode acrescentar até 170 kg. Esse sistema se enquadra ao tipo de blindagem nível I, de acordo com regulamentação do ministério da defesa, que oferece proteção apenas contra tiros de armas calibre 38 e abaixo.

Níveis de blindagem

Existem três níveis de blindagens, que oferecem proteção para diferentes calibres.

Existem três níveis de blindagens, que oferecem proteção para diferentes calibres.

São três níveis de blindagem permitidos para civis atualmente. Como já dito, o nível I protege apenas contra armas de calibre 22 e 38, o que acaba não oferecendo uma proteção completa para o motorista, mesmo que o preço seja mais em conta.

Já o nível II A suporta também os calibres Magnum.357 e pistola 9 mm. Por fim, o máximo da proteção permitida está no nível III A, protege de todos os calibres citados mais Magnum.44 e submetralhadoras de baixo calibre, como a Uzi.

A blindagem III acrescenta ao carro vidros temperados com 20 mm de espessura, além de proteções para o habitáculo chamadas de “blindagem opaca”. Trata-se de malhas de aramida (até 9 camadas), que ficam escondidas principalmente nos forros das portas e na traseira do veículo. É preciso notar também que os pneus são especiais e, mesmo após terem recebidos furos de armas de fogo, podem continuar rodando por alguns quilômetros.

Blindar o carro é um processo delicado e exige perícia e tempo para ser realizado. O processo leva de 20 a 40 dias, dependendo das características do carro. Quanto maior for o veículo, mais complexa é a blindagem.

Desvantagens

Apesar de ser um importante item de segurança, e de esse ser um valor inestimável, principalmente nos grandes centros urbanos, com um número de assaltos no trânsito cada vez maior, existem algumas coisas que é importante se saber sobre a blindagem de veículos.

Na questão das desvantagens, a primeira delas logicamente é o preço. Como já foi mostrado, blindar o seu veículo custa caro, muitas vezes até mesmo mais do que o valor do próprio carro. Embora existam alternativas mais baratas, como a chamada armadura e as blindagens de nível menor, esse tipo não oferece proteção total, e aí o barato pode acabar saindo caro. Caso decida fazer esse investimento, caso tenha possibilidade, opte pelo nível III A, que é mais caro mas te garantirá uma proteção mais completa.

Além disso, embora seja cara, a blindagem não necessariamente valoriza seu veículo no momento da revenda. O retorno do investimento está apenas na segurança. Com o passar dos anos, um blindado valerá o mesmo, ou até menos, que um modelo sem “armadura”. Isso acontece porque carros blindados tem desgastes e custos maiores que suas versões comuns.

Outra questão é a manutenção. Enquanto está na garantia (geralmente de três anos), um blindado não apresenta despesas muito maiores que as de um carro convencional. Porém, quando é preciso pagar para resolver um problema, é bom estar preparado. O custo de um novo para-brisa blindado, por exemplo, pode chegar aos R$ 4.500!

Além disso, o aumento no peso do veículo gera um aumento no consumo do combustível, além de poder causar também um maior desgaste em outras peças, como suspensão e freios, por exemplo.

Portanto, blindar o carro é um investimento em segurança. Para saber se vale a pena, o motorista deve pesar esse fator, em contraposição com as possíveis desvantagens, para ver se vale o investimento.

Por fim, fica a dica de procurar sempre uma empresa devidamente registrada para realizar o serviço. Desconfie de preços muito abaixo do mercado e sempre certifique-se de que o local que estará blindando seu veículo possui boa reputação, prestando um bom serviço.

Comentários
  1. Rubens Pimentel

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *