Qual o melhor combustível para carros flex?

Uma tecnologia totalmente nacional, lançada pela primeira vez em 2003, com o Gol 1.6 Total Flex. Os carros biocombustíveis caíram totalmente no gosto dos brasileiros. Hoje, 90% dos veículos fabricados no Brasil saem de fábrica com essa tecnologia.

Porém, uma dúvida frequente que muitos motoristas ainda têm sobre os carros Flex está relacionadas a qual combustível é melhor para o veículo: etanol ou gasolina? Qual rende mais? Qual tem a melhor relação custo-benefício? Misturá-los no tanque é bom ou ruim para o automóvel?

Como o próprio nome já diz, os carros Flex são completamente flexíveis, literalmente. Isso significa que eles estão totalmente preparados para rodar com qualquer um dos dois combustíveis. Nesses veículos, a mudança de etanol para gasolina, ou vice-versa, é perfeitamente possível, sem causar nenhum prejuízo para o motor. Aliás, essa é grande vantagem que esses carros proporcionam para o motorista, principalmente, como veremos abaixo, para o bolso.

Funcionamento

Isso ocorre porque o sistema de injeção eletrônica do automóvel identifica qual o combustível está sendo utilizado no momento, e ajusta todos os parâmetros do motor automaticamente, para um funcionamento adequado, independente da proporção entre etanol ou gasolina presente no tanque.

Carros Flex

Gasolina e etanol podem ser misturados sem restrição nos carros Flex

Resumindo, do ponto de vista do motor, não há a menor restrição sobre qual combustível usar, em quais proporções, em qual ordem, enfim. O automóvel foi produzido para funcionar com os dois tipos de combustível, em qualquer situação.

A única recomendação, sobre a troca de combustíveis, é para quando o tanque está quase vazio. Quando é feita a troca completa, com o tanque já na reserva, os sensores do automóvel levam um pouco mais de tempo para realizar o reconhecimento, o que pode fazer com que o motor “afogue”. Por isso, caso troque o combustível com o tanque quase vazio, rode com o carro por pelo menos dez minutos, para que o motor possa assimilar melhor o novo combustível, e assim evite problemas na próxima partida.

Fora desse caso especial, não há restrições para a troca, e se feita gradualmente, o motorista nem percebe. Por isso, o ideal é sempre alternar os combustíveis antes de o carro chegar na reserva.

Custo-benefício

A maior diferença sobre com qual combustível abastecer seu carro Flex está relacionada à relação entre custo e rendimento. O etanol é mais barato do que a gasolina, porém, rende 30% menos, o que faz com que nem sempre seja mais barato abastecer o carro com o álcool. Isso porque, uma mesma quantidade de gasolina permite que você rode distâncias maiores com o seu veículo.

Essa diferença no consumo dos dois combustíveis, favorável à gasolina, faz com que uma conta simples seja necessária, para saber qual dos dois vale mais para o seu bolso. Basta multiplicar o valor da gasolina por 0,7. Se a resposta for maior do que o valor do etanol, este vale mais a pena. Já se a resposta for um número menor, é melhor colocar gasolina.

Exemplificando: Caso o litro da gasolina custe três reais, você deve multiplicar esse valor por 0,7, e compará-lo com o preço do etanol. No caso, 3 x 0,7 = 2,10. Assim, se o preço do litro de etanol for maior do que R$ 2,10, opte pela gasolina. Se for menor que esse valor, aí o álcool sairá mais barato.

Mitos

Há ainda alguns mitos com relação aos carros Flex. Um deles, por exemplo, diz que que você não pode escolher rodar com apenas um dos combustíveis, tendo sempre que alternar. De acordo com esse pensamento, se você fizer isso, o carro vai “viciar” em um combustível, e não funcionará adequadamente com o outro.

Além disso, há também a ideia de misturar etanol e gasolina irá aumentar a potência do motor, o que também é um mito, já que o carro foi projetado para funcionar da mesma forma com os dois combustíveis.

Como já dito, os carros Flex podem ser abastecidos tanto com gasolina ou com etanol, sem problemas de misturá-los em qualquer uma das proporções. O sistema foi projetado para funcionar com os dois combustíveis ao mesmo tempo ou com cada um separadamente, não havendo contraindicação nem em relação à durabilidade do motor nem em relação ao desempenho.

A maior questão para a escolha acaba sendo mesmo mais relacionada à relação custo-benefício, já que a gasolina rende mais, permitindo cobrir maiores distâncias com a mesma quantidade de combustível, enquanto o etanol é mais barato. Por isso, além do gosto pessoal do motorista, é pegar a calculadora e ver qual vai ser melhor para o seu bolso.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *