Como a Injeção Eletrônica Funciona?

A injeção eletrônica é um dos componentes mais importantes para o funcionamento dos veículos, sendo este o sistema responsável pela alimentação de combustível e pelo gerenciamento eletrônico do motor do automóvel.

Porém, é muito comum que os motoristas não saibam exatamente como funciona a injeção eletrônica automotiva, o que poderia ajudar em um possível problema no sistema, tanto na hora do diagnóstico como na própria resolução do mesmo.

O que é?

Como já dito, a injeção eletrônica tem a função de controlar todo o sistema eletrônico do motor do automóvel, sendo responsável também pela alimentação de combustível, durante o funcionamento do veículo.

Injeção Eletrônica

Veja como funciona a Injeção Eletrônica em veículos.

O sistema foi introduzido nos veículos em substituição aos antigos carburadores, que eram menos eficazes na realização destas funções, além de não contribuir para a economia de combustível e emissão de quantidades menores de gases poluentes. A injeção eletrônica passou a ser usada em larga escala, portanto, principalmente para suprir a necessidade de a indústria automotiva reduzir seu impacto ambiental, com o aumento da pressão da sociedade pela redução da emissão de poluentes.

Assim, a injeção eletrônica faz com que seja injetada a combinação perfeita de combustível e ar, em todas as faixas de rotação, melhorando o rendimento do veículo, com acréscimo ao desempenho do motor, além de uma economia no consumo e consequentemente na menor emissão de gases poluentes.

Outra função da injeção eletrônica é controlar o tempo de ignição, o funcionamento da marcha lenta, e, para alguns veículos, também o comando de válvulas.

Gol GTI

O Gol GTI foi o primeiro nacional a ter Injeção Eletrônica de fábrica.

Levando-se em conta todas essas funções, muito ligadas ao controle e gerenciamento de muitos componentes e processos relevantes para o funcionamento do veículo, fica clara a importância da injeção eletrônica, e a atenção que o motorista deve sempre ter com relação ao funcionamento ideal do sistema.

Funcionamento

Mas como age exatamente este sistema? Como é o funcionamento para que essas funções sejam cumpridas?

Podemos dizer que o “cérebro” que comanda todo esse sistema é a Unidade de Controle do Motor (ECU) que, por vezes, também é chamado de “módulo de injeção”, que nada mais é do que a unidade de comando que mantêm controle sobre todas as funções relacionadas à injeção de combustível como a mistura ar-combustível que entra no motor, a marcha lenta, o tempo de ignição e, em alguns casos, o comando de válvulas.

Basicamente, ao dar a partida no veículo, os pistões do motor iniciam seu movimento, de subida e descida, e o sensor de rotação envia para a unidade de comando o sinal de rotação do motor. No momento em que ocorre o movimento descendente do pistão, ocorre a aspiração de ar no coletor de admissão, passando pelo medidor de fluxo de ar, pela borboleta de aceleração e chegando aos cilindros do motor.

Neste momento, o medidor de fluxo envia à unidade de comando a informação com o volume de ar admitido pelo motor, e esta, por sua vez, calcula a quantidade ideal de combustível que deve ser injetado à mistura, para gerar a proporção perfeita entre ar e combustível no cilindro.

Explicando de uma maneira simples, esta é forma pela qual o sistema de injeção eletrônica comanda a admissão de ar e combustível nos cilindros do motor. Quanto mais exata for a proporção dessa mistura, melhor será o rendimento do automóvel, e maior será a economia de combustível, com uma emissão menor de gases poluentes.

O sistema de injeção eletrônica é composto basicamente por dois itens principais:

  • Atuadores: Componentes que recebem os dados enviados pela unidade de comando, e atuam diretamente no sistema de injeção, controlando o volume de combustível que o motor recebe, comandando o ponto de ignição, a marcha lenta, entre outros.
  • Sensores: Instalados em diversos pontos do motor, são os responsáveis por coletar e enviar as informações à unidade de comando.

Possíveis problemas

Problemas no sistema de injeção eletrônica podem ter causas graves para o funcionamento do veículo, principalmente se não resolvidos rapidamente. Dificuldades na partida do motor, cortes durante o funcionamento, oscilações na marcha lenta, perda de potência e aumento no consumo de combustível, estão entre algumas das possíveis consequências.

Por isso, muita atenção à luz da injeção eletrônica. Ela fica no painel do carro, e é representada pela luz em formato de motor, triângulo ou raio, nas cores vermelha ou amarela, dependendo do modelo e da marca do carro. Temos outro post aqui no portal, sobre como agir quando esta luz acende. Para ler, clique aqui.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *