Por que alarme do carro dispara sozinho?

Os altos índices de violência e de roubos de carros fizeram com que o alarme se tornasse um item essencial para qualquer carro, principalmente nas grandes metrópoles. Porém, um problema comum, e que incomoda bastante, ocorre quando o alarme começa a disparar sozinho, sem nada que justificasse o acionamento do dispositivo.

O alarme do seu carro ser acionado toda vez que passa um caminhão ou ônibus na rua, ou a qualquer momento em que alguém ou algo encoste no para-choque, por exemplo, não é algo normal, e você não precisa ficar “refém” desses disparos.

Existem algumas razões para esses acionamentos acidentais, principalmente quando eles são recorrentes. E identificá-los passa a ser importante para a solução do problema, principalmente se você não dispõe de muito tempo ou dinheiro para ficar levando o veículo ao revendedor ou instalador do alarme.

Como funciona o alarme?

Alarme Automóvel

Controles para acionar e desativar o alarme.

O funcionamento deste dispositivo normalmente se dá por sensores de movimento, localizados no interior do automóvel. Esses sensores captam essas informações, e as enviam à central de segurança eletrônica, que mede o grau desses movimentos. Portanto, ao se captar alguma movimentação que ultrapasse o máximo programado pelo alarme, ele dispara automaticamente, sendo desarmado apenas pelo acionamento do controle remoto do equipamento.

Antes de mais nada, sempre que o alarme disparar sozinho, sem razão para tal, certifique-se de que o veículo está totalmente e corretamente fechado. Uma janela ou uma porta entreaberta, por exemplo, já podem ser suficientes para o acionamento do alarme.

A partir de agora, segue uma pequena lista de algumas das possíveis causas para um disparo recorrente do alarme. A solução para o problema pode ser bem mais simples do que a troca total do equipamento.

Portas, janelas ou capô empenados

Como dito anteriormente, qualquer alteração no ambiente interno do veículo pode causar o acionamento indevido do sistema de alarme. Os sensores do alarme são programados para detectar qualquer movimentação dentro do veículo, sendo programados para disparar assim que algo é captado.

Logo, se as portas, o porta-malas, as janelas ou até mesmo o capô do carro estão empenados, não fechando corretamente, isso pode ser responsável pelo alarme estar sempre disparando. Esse problema pode ser identificado com bastante facilidade. Basta checar como estão as condições das portas e vidros do automóvel, vendo se eles fecham com facilidade, ou se é necessário forçar de alguma forma, fazer algo que não seria o natural.

Caso a resposta seja sim, os disparos não são culpa do alarme propriamente dito, e sim das portas. Neste caso, ao invés de levar o veículo ao instalador do alarme, você precisa levá-lo à uma funilaria ou martelinho de ouro para reparar o problema.

Fatores climáticos

A chuva, calor em excesso ou uso do veículo em condições extremas também podem prejudicar o funcionamento do alarme. Neste caso, uma manutenção adequada do sistema, principalmente quando ocorre o uso em condições extremas, é o melhor remédio para evitar problemas. Os reparos podem passar desde uma simples limpeza dos sensores até a troca de algum deles, em caso de maiores danos.

Problemas na central do alarme

Caso algum dos problemas anteriormente citados, relacionados ao fechamento ideal do automóvel, ou à condições climáticas, não seja identificado, é bem provável que o problema esteja realmente no alarme, e aí procurar um especialista pode ser a única solução. Um curto-circuito na central do alarme, ou mesmo em um dos sensores pode ser o responsável pelo acionamento indevido.

Além disso, o seu equipamento de alarme pode estar com alta sensibilidade, e uma melhor calibragem desse item pode ser necessária, para que qualquer esbarrão não seja suficiente para o acionamento.

Falta de manutenção

Acúmulo de poeira, uma limpeza mal feita, e a falta de cuidados básicos com o carro também podem ser a raiz do problema. Como qualquer parte do veículo, uma manutenção inadequada pode alterar e prejudicar o funcionamento do alarme. Além disso, outros componentes elétricos do automóvel, como a bateria, o circuito elétrico ou os fusíveis também podem afetar o funcionamento ideal do dispositivo.

Como já dito antes, uma boa manutenção preventiva é sempre bem vinda, com a limpeza correta e o diagnóstico prévio de qualquer possível problema.

Além disso, a persistência de problemas pode estar relacionada a um equipamento de baixa qualidade, e aí a única solução definitiva pode ser mesmo a troca. Uma dica é sempre dar prioridade aos modelos originais de fábrica, em detrimento das marcas paralelas. A questão nem é necessariamente qualidade, já que existem boas marcas paralelas no mercado. O original apenas é uma garantia maior de que o equipamento é o adequado para o seu modelo.

Se o controle remoto não funciona?

Para concluir, uma dica importante. Caso o seu alarme tenha disparado, e nem com o controle remoto você consegue desativá-lo, a recomendação é desligar a bateria, desconectar o polo negativo, e esperar dez minutos. Em seguida, leve-o para manutenção.

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *