Quais são os gases emitidos pelos automóveis?

Há um consenso de que é necessário reduzir a emissão de gases poluentes, especialmente aqueles responsáveis pelo efeito estufa. E um dos principais vilões no quesito da poluição, principalmente nos grandes centros urbanos, ainda são os automóveis.

Essa discussão se torna ainda mais importante quando os efeitos das mudanças climáticas começam a ser cada vez mais sentidos, ainda mais com a frota mundial de carros se aproximando da casa dos bilhões, com perspectivas de dobrar nos próximos 40 anos.

Gases emitidos pelos principais combustíveis

Emissão de Gases

Automóveis emitem grandes quantidades de gases poluentes.

Primeiramente, é importante destacar quais são os gases poluentes emitidos pelos automóveis, para cada tipo de combustíveis mais comuns, quais são as consequências dessa emissão em larga escala, e qual desses combustíveis é o mais poluente.

Os principais gases emitidos pelos veículos são:

  • Monóxido de carbono (CO): gás sem cor ou cheiro que se associa à hemoglobina, provocando dor de cabeça e redução da capacidade respiratória. Em altas concentrações, provoca asfixia e pode até matar.
  • Hidrocarbonetos (HC): são compostos orgânicos como metano e benzeno, que podem ser cancerígenos em grande concentração. Ajudam a formar oxidantes como o ozônio (O3) e contribuem para o aquecimento global.
  • Dióxido de enxofre (SO2): resulta da queima do enxofre, que está em maior concentração no diesel. Reduz a visibilidade e causa a chuva ácida, que provoca a corrosão de construções e a destruição da vegetação.
  • Aldeídos (CHO): produto exclusivo da combustão do álcool e da gasolina brasileira, que possui até 25% de álcool. Em grandes quantidades na atmosfera, pode causar irritação nos olhos e nas vias respiratórias.
  • Dióxido de carbono (CO2): não faz mal ao homem (é o gás produzido na nossa respiração), mas é o principal causador do efeito estufa.
  • Óxidos de nitrogênio (NOx): formam oxidantes como o ozônio (O3), que provoca irritação nos olhos e no sistema respiratório e constituem o smog, névoa de poluição que dificulta a visibilidade. Contribuem para o efeito estufa.
  • Material particulado (MP): inclui fuligem, poeira, a fumaça e todo material suspenso no ar,
    gerados principalmente pelo motor a diesel.

Dentre as três formas mais comuns de combustíveis, usadas em larga escala, com certeza o diesel, utilizado principalmente por caminhões e ônibus, é o mais poluente, em comparação à gasolina e o etanol.

Nos motores de ciclo Diesel, a combustão ocorre por compressão. Assim, o cilindro enche de ar, que é comprimido. Depois, é injetado o diesel, que entre em combustão a partir da alta temperatura do ar. Nesse processo, são emitidos gases como os óxidos de nitrogênio e o dióxido de enxofre, por exemplo.

Já para os motores do chamado ciclo Otto – gasolina, álcool, Flex e GNV -, a combustão ocorre por explosão. A mistura de combustível e ar entra no cilindro, é comprimida e recebe uma faísca, que provoca a queima. Já para esse processo, são liberados principalmente hidrocarbonetos, os óxidos de carbono e aldeídos.

Além dessa diferença nos processos, as composições distintas também fazem com que os combustíveis possuam diferentes níveis de emissão de gases poluentes. Mesmo sendo ambos derivados do petróleo, os hidrocarbonetos presentes na gasolina são mais leves do que os do óleo diesel, por exemplo, gerando uma quantidade menor de gases poluentes.

Já com relação ao etanol, a queima do álcool emite, em média, 25% menos monóxido de carbono e 35% menos óxido de nitrogênio do que a gasolina. Logo, na comparação entre os três principais combustíveis, o diesel acaba sendo o mais poluente, embora os três liberem grandes níveis de dióxido de carbono (CO2), mais conhecido como gás carbônico, um dos principais responsáveis pelo efeito estufa e o aquecimento global.

Como reduzir as emissões

Embora esse seja um problema de larga escala, existem maneiras de se reduzir a emissão dos gases poluentes por automóveis. Ações governamentais são extremamente importantes, como por exemplo o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve). Instituído pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente – Conama, em 1986, em âmbito nacional, o Programa estabeleceu um cronograma de redução gradual da emissão de poluentes para veículos leves (automóveis) e para veículos pesados (ônibus e caminhões).

Através dele, atingiu-se uma redução média de emissão de cerca de 90% dos veículos leves novos, em comparação com o início do Programa. Para citar um exemplo, a emissão média de CO por carro hoje é de 0,3 g/km, enquanto que em 1986 era de 54 g/km.

A implementação de novas tecnologias, que reduzem essa emissão, também é um fator importante. Os catalisadores, por exemplo, são uma peça vital nesse contexto, fazendo com que os gases mais prejudiciais sejam transformados em substâncias menos perigosas.

Dicas

Além disso, os próprios motoristas também podem seguir dicas simples para reduzir a emissão de poluentes de seus carros. Uma manutenção adequada, por exemplo, pode reduzir em até 20% a emissão dos gases do efeito estufa. Ações simples, como trocar o óleo, filtros e velas regularmente, e calibrar os pneus podem reduzir a poluição, além do próprio consumo de combustível, o que será bom para o bolso do motorista.

Assim, as principais dicas são:

  • Faça periodicamente a revisão do seu veículo.
  • Faça a calibragem dos pneus a cada 15 dias, preferencialmente com pneus frios, a calibragem correta pode reduzir o consumo em até 5%.
  • Prefira utilizar biocombustíveis quando for abastecer seu carro.
  • Quando for adquirir um veículo novo, prefira os híbridos ou os mais eficientes (que consomem menos combustível por km).
  • Busque caminhos alternativos para evitar os congestionamentos.
  • Evite dirigir em alta velocidade, pois consome mais combustível e emite mais CO2.

Comentários
  1. Oliver

Deixe sua mensagem

Your email address will not be published. Required fields are marked *